19 de ago de 2007

Será o fim da pirataria?

O Brasil tem potência para ser o maior mercado de jogos eletrônicos da América Latina. No entanto, por haver altos impostos e pirataria, o que acarreta na ausência de empresas multinacionais dos games, o Brasil ainda engatinha nesta questão. Mais de 90% dos consoles de games vendidos no país são oriundos de contrabando.

A fim de resolver este problema, o deputado Carlito Merss (PT-SC) criou o projeto de Lei 300/07 que estende os benefícios da Lei da Informática (8248/91) ao setor de jogos eletrônicos, ou seja, facilita na redução das tarifas tributárias e, quem sabe, as famosas empresas não venham ter representantes aqui no Brasil.



No México, os jogadores fizeram diversos movimentos para criar uma lei que acabasse com qualquer imposto sobre os games. “O mercado mexicano cresce a taxas superiores a 30% ao ano após a adoção de mecanismo de desoneração tributária”, explicou o deputado que confirma o crescimento do país. Com isso, o México se tornou uma das mais importantes potências de games do mundo, com jogos em espanhol, língua falada no país. Imaginem-se jogando Metal Gear Solid em português. Não seria muito mais fácil entender o enredo?



Com esse Projeto de Lei, parece que finalmente o Brasil pode se transformar em uam grande potência dos games, até maior que a do México. "O desenvolvimento de jogos ainda é incipiente, em razão da elevada carga tributária incidente sobre tais equipamentos e, sobretudo, da exclusão desse segmento dos incentivos fiscais estabelecidos pela Lei de Informática", ressaltou o deputado.




De acordo com o portal da Câmara de Deputados, "o projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania”.



Welcome to the Caribbean!! Now bring me that horizon! I'm Bruna Torres, Savy!

Hehehe!

Um beijo,

Bruna Torres.

Nenhum comentário: