29 de set de 2007

Controle Intimador

Você está cansado de procurar garotas que jogam? Ou então para as garotas que procuram (tudo bem, pode existir a possibilidade) um namorado que jogue com ela? Os problemas parecem estar prestes a acabar. Uma estudante da Universidade de Nova York, chamada Jennifer Chowdhury, criou o Intimate Game Controllers. Na verdade ainda é um protótipo, mas se trata de um experimento que deve ser usado a dois, especialmente por casais.




Com o Intimate Controllers, os movimentos no jogo são acionados por contato físico entre os dois jogadores. Os sensores são estrategicamente localizados no sutiã da mulher e na bermuda do cara, assim como mostra a foto abaixo. Para avançar e ganhar pontos no jogo os parceiros devem tocar nestes sensores localizados em partes íntimas do parceiro. Os toques começam pelo pescoço e ombros e na última fase as zonas de toque são as mais íntimas e erógenas, mas isso eu deixo para vocês descobrirem. Caso os toques não sejam suaves, os jogadores perdem pontos.




Agora os casais também poderão parar de reclamar que o clima do namoro não está legal com a nova invenção que promete deixar o relacionamento mais “hot”. Para os gamers hardcore que passam horas em frente ao game, chamem o parceiro para participar de uma jogatina. Fiquem com o vídeo e aprendam a jogar!



Quem se interessar em dar uma espiada no site da criadora Jennifer Chowdhury.

Beijos,
Bruna Torres.

28 de set de 2007

RPG — antes e depois

Há algum tempo, venho observando posturas tomadas por parte dos jogadores de RPGs, sobre os caminhos que o estilo tomou da geração retrasada pra cá (quando deu início à conhecida como "128 bits") e as críticas sobre as novas fórmulas do gênero. Se existem pessoas que dizem que RPGs não são mais como antigamente, que os antigos cativavam mais, é algo digno de atenção. Oras, existem games de RPG maravilhosos em todas as gerações, assim como outros medíocres. Se houve decepções em relação ao nono episódio da série Final Fantasy, por exemplo, ninguem lembra (não é uma opinião generalizada, apenas como boa parte dos fãs reagiram). O motivo é bem simples: houveram games como FF 7 e FF8, Chrono Chross, Wild Arms, etc (só pra constar alguns exemplos). O fato é que a mediocridade é facilmente esquecida, então tudo bem dizer que os bons (aqueles que marcaram) são os antigos. Sempre haverão games bons e ruins, de todos os estilos. Mas o motivo não é só esse.
O que visualizo dentro da crítica dos RPGs, é que estes, com as facilidades proporcionadas pela tecnologia, se tornaram bonitos tecnicamente mas foi esquecido do que é mais importante no gênero: a história. Eu não concordo com essa postura, mas acho compreensível.

Existem games com o enredo maravilhosamente bem construído nessa geração, e dizer o contrário (e o pior, afirmar que as coisas ficarão cada vez piores) não é uma conclusão das mais inteligentes. Então por que os games antigos cativam mais? A resposta creio eu, está na forma em que esses jogos foram produzidos. Um RPG para o Snes por exemplo, possui um aspécto técnico realmente simples. Os gráficos são limitados, e os personagens não se expressam muito através da imagem. Eles não falam (com vozes), não gesticulam (ou até gesticulam, com 2 ou 3 movimentos pré-programados), e até os acontecimentos mais "movimentados" foi um desafio para os desenvolvedores (a Square conseguiu resolver isso na geração 32 bits, com as fantásticas sequências em CG). Isso desperta no jogador, algo bem próximo da experiência de ler um livro. A imaginação sobre aqueles acontecimentos, os personagens e a trama. Logo, a história se torna um pouco nossa, já que moldamos um pouco do todo.


Nos RPGs mais avançados, a experiência se torna menos literária e mais cinematográfica (até lembro do game Parasite Eve do PS1, que tinha como slogan: Cinematic RPG). Os personagens não são mais bonecos. Eles são personalidades totalmente criadas. Eles já têm seu jeito de falar (e claro, sua voz), seu jeito de expressar e até um jeito de andar. A câmera muitas vezes se movimenta (nas chamadas cut-scenes), enfim: você literalmente assiste, como se estivesse vendo um filme. Com menos subjetividade e mais grandiosidade, creio que para boa parte dos apreciadores do gênero, foi algo encômodo. Claro que existem games que resgatam um pouco do estilo antigo de ser, com características saudosistas, mas a evolução natural ja está feita.

Para muitos, o estilo antigo era melhor. Mas não é algo realmente difícil de entender. Afinal de contas, quando existe um livro e um filme sobre uma mesma obra, qual você aprecia mais?

Fernando Rodrigues

25 de set de 2007

NBA realiza campeonato de basquete virtual, no Rio



Nesse próximo final de semana, dias 29 e 30 de setembro, a NBA – Liga Americana de Basquete estará realizando o evento NBA Madness: Streetball 2007. O evento reúne competições de enterradas, habilidades e um torneio de 3x3. Além disso, será realizado um campeonato de basquete no XBOX 360. Quem quiser participar, basta se inscrever gratuitamente no site (http://www.nba.com/brasil/madness07).


O evento terá ainda músicas,com DJs e b-boys e será realizado no Cais do Porto - 6 de 9h as 18h. Para mais informações, pode ligar: (21) 2452-2215 (falar com Bárbara), de segunda à sexta-feira, das 09 às 13 hs e das 14 às 18 hs ou pelo e-mail: nbamadness@mdp.com.br

19 de set de 2007

Tokyo Game Show

Já está acontecendo! ;)
Quais serão as grandes amostras e as grandes surpresas? Fiquem ligados para os acontecimentos da TGS 07 aqui no Geração Bit!
A feira irá acontecer até o dia 23, portanto fiquem ligados.
PS: as notícias serão atualizadas nesse mesmo post para não haver problemas de visualização ;)
------------------------------------------------------------------------------------------------
Trailer de Metal Gear Solid 4



------------------------------------------------------------------------------------------------
Metal Slug 7 será exlusivo para DS

A diversidíssima série MS ganhará episódio exlusivo para o portátil da Nintendo. Segue o vídeo do game:

------------------------------------------------------------------------------------------------
Dragon Blade: Wrath of Fire será lançado para o Wii pela D3 Publisher, e deverá ser lançado próximo do fim do ano. Com a câmera em terceira pessoa, DB: WF não fará partido com o atual esquema Wii Mote+Nunchuk. Cada um desses componentes irão controlar um braço de um dragão, podendo atacar com espadas ou magias. Além disso, o game trará um sistema de evolução, coisa que já estamos mais do que acostumados em jogos do estilo.

------------------------------------------------------------------------------------------------
Entrevista com assistente de direção do Team Ninja

O site RETROBITS conseguiu uma entrevista exclusiva com Masato Onishi, assistente de direção de Ninja Gaiden 2, Team Ninja. Confira:

Daniel. Quanto leva em media a producao de Ninja Gaiden 2?

Masato. Como Ninja Gaiden eh jogo muito detalhado, a producao leva, em media 1 ano e meio, podendo se estender um pouco mais.


Daniel. Como a Team Ninja inicia a producao de um jogo como Ninja Gaiden ou Dead Or Alive?

Masato. Bem, se tratando de Ninja Gaiden, onde faco a assistencia de direcao, o Itakagi senta com o pessoal da producao e discutimos sobre tudo ao mesmo tempo, graficos, efeitos sonoros, etc(risos) ate se chegar num contexto. Na verdade, o pessoal eh muito profissional e aberto a ideias e comentarios, acho que isso eh a chave do sucesso de Ninja Gaiden.


Daniel. Quanto tempo voce trabalha por dia? A imagem que temos dos japoneses eh que trabalham muito e o dia todo. Voces trabalham assim tambem?

Masato. Nao, nao! Dentro da Tecmo, voce faz o seu horario, Como voce esta produzindo um jogo e quer que o mesmo seja um otimo jogo, assim que percebe que esta se estressando e perdendo as ideias, a melhor coisa eh voltar pra casa e descansar (mas isso nao significa que nao trabalhamos! risos)


Daniel. Quantas pessoas trabalham na Team Ninja?

Masato. Infelizmente essa pergunta eu nao posso responder(com ar de vergonha)


Daniel. Porque vc escolheu essa profissao? O que voce nos diz dos Ninja Ryukenden(Gaiden) de Famicom?

Masato. Desde pequeno, quando joguei pela primeira vez um video game, decidi que me esforcaria para conseguir trabalhar com video games, nao conseguia me imaginar trabalhando em outro emprego.
A serie Ninja Ryukenden de Famicom foi a melhor que ja joguei ate hoje! Pra mim, eh muito gratificante estar na equipe do Team Ninja, principalmente por trabalhar na serie do jogo que mais gosto!


Daniel. A violencia esta muito maior na segunda versao. O que voce diz a respeito?

Masato. Imagine um ninja com uma espada. Ele corta a cabeca de um inimigo. Nao vai sair duas gotas de sangue dali, vai jorrar sangue. Ja vimos jogos de espada "bonitinhos" que nao tem nada a ver com uma espada. Um ninja nao quer apenas matar seu inimigo, ele quer cortar a cabeca, os bracos, as pernas e tudo o que for possivel(risos).
Minha resposta pode parecer chocante para muitos, mas essa eh a proposta maior de Ninja Gaiden 2, a crueldade(ele falou isso com gosto)e odio com que um ninja mata seu inimigo. Muitos estao achando violento demais, mas tenho certeza que os fans adorarao(falou com gosto, de novo). Particularmente, eu vejo a violencia nesse jogo como uma arte, a maneira que Ryu retalha seus inimigos, o pessoal da producao e os programadores sao verdadeiros artistas. Alem de uma boa historia, graficos e sons, queremos mostrar com o maximo de realismo possivel o que as armas de Ninja Gaiden sao capazes de fazer.


Daniel. Que mensagem voce deixaria para os fans brasileiros de Ninja Gaiden?

Masato. Meu desejo eh que os fans brasileiros se impressionem o maximo nesse jogo, nos da Tecmo acreditamos que esse sera o melhor jogo de acao de todos os tempos com seus 60 frames por segundo de acao ininterrupta do comeco ao fim!

Entrevista cedida para Daniel "Corisco" (do site Retrobits) e Naoyo "Dada", no segundo dia da TGS '07.
------------------------------------------------------------------------------------------------
Vídeo extraordinário de Devil May Cry 4
Confira:


Fernando Rodrigues

17 de set de 2007

Halo 3 superestimado?

Estamos muito próximos do lançamento oficial de Halo 3, que acontecerá no dia 25 de setembro, e as expectativas não podiam estar maior. A questão é: com todo esse hype absurdo gerado pela Bungie e as campanhas publicitárias extraordinárias, tem gente por aí achando que Halo não merece barulho.
Bem, a série é um sucesso e disso ninguem duvida. Aliás, me não é nenhuma novidade dizer que essa foi a grande sensação do X Box e uma das maiores da geração passada. Mas existem pessoas que não acham que o sucesso de Halo é de todo merecido. O vídeo exibido na E3 se mostrou mais uma versão melhorada do segundo game do que uma proposta realmente revolucionária (pessoalmente, não acredito mesmo neste ceticismo de que não é possivel revolucionar continuações. Caso isso fosse verdade, não teríamos games como Final Fantasy VII, Super Mario 64 ou Resident Evil 4). David Jaffe, criador da série God of War, comentou em seu blog que não entende Halo. "Não acho que a história é assim tão especial, não acho que o mundo ou os personagens importam tanto."

Existe também, os argumentos de que Halo vendeu bastante nos Estados Unidos, mas nem tanto no resto do mundo. Porém, Halo 3 ja bateu records de pré-venda: a Mircrosoft anunciou que ja passaram de 1 milhão de reservas.

A verdade é uma só: os dois primeiros jogos da franquia são fantásticos. Resta agora esperar até o dia 25 para sabermos se o terceiro episódio fará jus ao hype criado.

Assista o trailer do jogo:


Fernando Rodrigues

16 de set de 2007

Três Luzes Vermelhas da Morte

O box 360 foi o primeiro videogame da nova geração a aparecer no cenário mundial. É um aparelho que agrada muitas pessoas devido a potência e qualidade gráfica. Entretanto, sua fama maior é a de ser um console muito problemático, onde muitos gamers já passaram pelo famoso defeito das 3 luzes vermelhas, mais conhecida como 3RL (Three Red Lights of Death ou Três Luzes Vermelhas da Morte).





Este problema é causado pelo superaquecimento do console, que nesta situação, amolece as soldas, o que faz com que as memórias se desgrudem da placa mãe e causem erro de Hardware. Isso acontece porque o console é mal projetado para agüentar tanta potência, possuindo uma má dissipação do calor gerado pelo Processador e pela Placa de Vídeo.

A fim de aumentar o tempo de vida do console, muitos usuários usam mods (modificações feitas no aparelho). Alguns conseguem, mas na maioria das vezes as temidas 3RL voltam.


XBOX COM NYKO INTERCOOLER




XBOX REFRIGERADO POR ÁGUA

Mais fotos e informações no link:
http://www.xbox-scene.com/xbox1data/sep/EEVpZZAklllHlcrxQY.php


XBOX COM COOLER EM 12 VOLTS

http://img242.imageshack.us/img242/9618/12voltsnox360wm4.jpg
http://img142.imageshack.us/img142/3429/12volts02nl9.jpg
http://img143.imageshack.us/img143/8679/12voltscoolerfiosds2.jpg


XBOX COM COOLER RESFRIANDO A GPU

http://img218.imageshack.us/img218/1899/xx1pk4.jpg
http://img7.photobucket.com/albums/v21/Pacote/x360/pacoteste_08.jpg


No dia 29 de abril foi lançado o Xbox Elite, onde as diferenças são que o console é preto, possui uma saída de vídeo HDMI (High-Definition Multimedia Interface) e também um HD maior, de 120 GB.



As memórias do Elite são coladas na placa mãe com Epoxy (sim, esta cola presente na foto abaixo). Era mais uma proteção contra as 3RL, mas que não convenceu muitas pessoas, que ainda têm medo de comprar um videogame que pode morrer da noite para o dia.



Muitos players estão com esperanças na nova versão que a Microsoft prometeu para o fim do ano, o Xbox 360 Falcon. Este promete mudar os processadores de 90nm para 65nm (nanômetros).

Fiquem calmos! Como ainda não temos imagens do
Falcon, vai uma foto do famoso boneco também Falcon.
Mas o console não virá com o bonequinho ! Rsrs!

Nem com o Captain Falcon!!


A tecnologia dos nanômetros faz com que os transistores do processador fiquem com uma distância de 65nm, um dos outros. Com isso, a corrente elétrica percorre um menor caminho, gerando menos calor e gastando menos energia. Porém muitos acreditam que só a passagem da CPU para 65nm não vai resolver o problema, porque 90% dos problemas de 3RL são por causa da GPU (Processador Gráfico - Placa de Vídeo). Ela ainda vai continuar com 90nm, o que gera uma grande desconfiança por parte do comprador.

Para quem quer comprar um 360 com segurança basta aguardar o Falcon para ver o que vai acontecer.

Vejam este vídeo de um XBOX com 3RL. No 01:37 o jogo trava e começa o desespero:


Beijos,

Bruna Torres

14 de set de 2007

Análise: Metal Gear Solid 3: Snake Eater

É interessante acompanhar o lançamento de todo Metar Gear Solid desde as primeiras informações reveladas. De uma forma única, a Konami monta na cabeça de cada jogador um game diferente, e a quantidade de informações polêmicas que vão surgindo ao longo do tempo são de encher facilmente centenas de páginas de discussões nos fóruns de Internet. Talvez o mais incrível de tudo isso, é que Hideo Kojima, sem medo de arriscar, acaba sempre surpreendendo colocando a idéia de seu jogo bem diferente do que todos pensavam (ou a maioria), e mesmo assim conseguindo superar as expectativas criadas. Então quando vimos pela primeira vez nos vídeos exibidos uma figura com o mesmo rosto de Raiden, teorias das mais fabulosas surgiam para tentar justificar esse fato. Aproveitando da grande complexidade do enredo do espetacular Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty (méritos à parte de Kojima, ao compreender que as pessoas imaginariam que TUDO poderia acontecer no próximo episódio), é realmente uma lavada para os jogadores ao descobrir quem é aquele personagem (que não revelarei aqui).
Com uma história que perde muito de sua complexidade anterior, MGS3 leva a gente a pensar como um enredo inserido de forma simples pode ser tão expressivo quanto às idéias tão abstratas do antecessor. Snake Eater fala sobre a lealdade, honra, o patriotismo tão cego gerado em guerras (e as intenções deste patriotismo), a traição... na verdade a quantidade de sentimentos que a história de Metal Gear Solid 3 consegue passar é tão forte que eu poderia criar um artigo exclusivo para o enredo. E com toda essa qualidade, é fascinante que a narrativa consiga alcançar um nível ainda maior (sendo nesse ponto, o melhor da série até agora) ao criar uma aventura divertida, com personagens carismáticos (incluindo os vilões) que gera acontecimentos capazes de nos manter sempre atraídos para os acontecimentos que irão desenrolar. Tudo isso é claro com a ajuda de cut-scenes, que não só merecem méritos gráficos (como vou falar mais adiante), como também se destacam no ponto de vista cinematográfico, exibindo direção, edição e fotografia tão competentes quanto grandes sucessos do cinema (isso NÃO é um exagero).

Com sua experiência habitual, Hideo Kojima cria um cenário incrivelmente bem feito para ser explorado. Dessa vez a aventura se passa na década de 60 e o cenário é a guerra fria, então não espere por muitos elementos high-techs (calma, os Metal Gears existem). Cada parte do cenário (a maioria floresta) foi feito com uma inspiração gigante, e apesar da linearidade continuar lá, tudo foi feito com um carinho notável, desde as gramas, lagos, árvores, tudo que puder ser usado como um lugar para se esconder de forma estrategicamente colocada. Alem disso, a quantidade de detalhes é tão grande que parece realmente que a floresta está viva. Se MGS2 (que foi lançado no inicio do PS2) ainda possui gráficos top de linha, é bem óbvio que a beleza estética do terceiro episódio beira a perfeição. Da mesma forma, Harry Gregson Williams cria novamente um tema fortíssimo para o episódio da série, com influências óbvias de 007 (e a letra ainda faz uma bela referencia ao tema tratado pelo jogo com a letra I give my life, not for honor but for you). As outras faixas continuam no belo patamar de qualidade, com alguns diferenciais (a musica de quando você é visto pelos inimigos de nada lembra ao famoso tema do primeiro jogo).

E se a parte técnica está excepcional, temos dessa vez um game play um pouco irregular. Com uma câmera que se preocupa mais em manter a tradição do que em ser funcional, é difícil não se sentir incomodado em muitos momentos, e já que se tratando de uma floresta, é trabalhoso não poder enxergar o que está à sua frente. Um novo sistema de ferimentos e saúde foi implantado, mas poderia ter sido feito de maneira mais pratica, já que na maioria das vezes eles só passam raiva. Funciona mais ou menos assim: Snake precisa se alimentar regularmente, e pra isso precisa caçar. Caso o jogador não o faça, uma barra de energia (não a convencional, uma segunda barra) começa a esvaziar, e alguns efeitos irão penalizar o jogador. Até aí está ótimo, o problema é que irrita ficar pausando o jogo toda hora, principalmente quando se trata de curar ferimentos. Ao invés de você se preocupar apenas com os itens e deixar a função de escolher os remédios de forma automática, o jogo obriga que você selecione os curativos manualmente, e como no próprio menu já está indicado qual você deverá usar (abandonando a possivelmente divertida tarefa de descobrir qual o certo a fazer) só resta os penosos exercícios de clicar nos itens até que tudo se resolva. Isso não chega a ser comprometedor para o resultado final, mas sem duvida poderia ter sido feito com um pouco mais de carinho.

Mas tirando alguns probleminhas, MGS3 é divertido não só de assistir como também de jogar (é engraçado dizer isso já que estou falando de um game). E o momento em que mais se nota isso com certeza é na batalha contra o Bosses. Como de praxe, cada um deles exibe um carisma particular muito grande, e enfrentá-los é sempre emocionante. De batalhas rápidas como contra The Fear, até o criativo confronto com o sinistro The Sorrow, sempre é gratificante derrotar os membros do Team Cobra. E tenho que falar aqui, em especial à batalha contra The End, que com certeza está entre as lutas de chefes mais marcantes de toda a história dos videogames. Podendo levar mais de uma hora de duração, esse confronto em particular exige um esforço metal e psicológico do jogador, necessitando de muita competência, reflexos e principalmente paciência, tendo em vista que é uma batalha de Snipers. A tarefa com certeza vai ser dura, e existem vários jeitos de conseguir conquistar a vitória, mas não me recordo de um confronto tão gratificante em um videogame, e são elementos como esse que marcam um clássico.

Contando com um desfecho absolutamente espetacular, Snake Eater é de fato, um dos jogos de maior qualidade da geração passada. Lindo artisticamente e com um enredo tão inteligente e dramático, MGS3 é um desses games com o potencial de tirar o sono, matar aulas, tudo pra ficar jogando. Mesmo com algumas pequenas falhas, o jogo continua fascinante. Parece que virou mesmo tradição da Konami lançar clássicos com o nome Metal Gear Solid. Resta apenas aguardar para continuar essa aventura fantástica, e é por isso que mal posso esperar pelo próximo episódio.


(Notas de 1 a 5 estrelas)

Fernando Rodrigues

13 de set de 2007

Brasil já é segunda maior comunidade ativa em Second Life

Durante a apresentação do relatório oficial da Linden Lab, na Second Life Community Convention, o Brasil entrou no ranking da segunda maior comunidade de usuários ativos no mês de julho, ultrapassando a Alemanha. No quadro geral, em primeiro lugar está os EUA com 26,55% dos usuários, seguidos do Brasil (8,55%), Japão (7,99%), Alemanha (7,92%). O mais engraçado é que em janeiro de 2007, o Brasil era a 12ª comunidade ativa, estrondoso...(Até o bairro de Copacabana já está no jogo, como demonstra a imagem acima).

Que o Brasil possui um dos maiores potenciais como mercado consumidor de jogos eletrônicos do mundo, todo mundo está cansado de saber. Agora que o Governo Federal e empresas privadas se unirem para conseguir uma condição pelo menos mais equilibrada para fazer valer, ninguém quer mexer nisso e principalmente em relação aos Impostos, que seguem como um dos maiores do mundo, no segmento.


Para quem ainda não conhece, Second Life é uma espécie de mundo virtual, onde qualquer pessoa pode criar seu personagem (chamado de Avatar) de acordo como quiser e isso vale para a sua forma, rosto, corpo e roupas. Assim como executar novas profissões, ou repetir as funções que já faz na vida real, como estratégia de marketing, para que mais pessoas conheçam o seu trabalho no mundo real. A informação foi via Último Segundo IG.

Desenvolvimento de jogos agora também é com a União Européia

Segundo o site de notícias americano 1UP, a União Européia abriu um financiamento para desenvolvimento de jogos, onde podem ser incluídos todas as partes do jogo, como: procura de patentes, formulação de conceitos, aquisição de direitos, design, programação e desenvolvimento de estratégias de marketing. As empresas podem se candidatar a receber de 10 mil a 60 mil Euros. O financiamento pode ser incluído principalmente para consoles, PCs e aparelhos portatéis que podem chegar até 100 mil Euros.

Até ai, uma excelente notícia, não é? Acontece que por motivos maiores, o financiamento só atende a países da Europa. Esse fundo de financiamento, na verdade, é parte do Media 2007, que é um programa da União Européia que visa distribuir cerca de 1.5 milhão de Euros para desenvolvimento de jogos.

Por enquanto, no Brasil temos apenas o edital do governo federal, chamado JogosBr, que segundo bem disse o blog do Rodrigo Flausino, desde 2006 que ainda não saiu nenhum dos 8 pré-projetos de demos jogavéis, com baixo orçamento de R$ 30.000,00 (trinta mil reais) que foram escolhidos, ou ainda algum dos 2 pré-projetos de jogos completos escolhidos, com orçamento de R$ 80.000,00 (oitenta mil reais). Onde será que eles foram com o NOSSO dinheiro?

Enfim, demanda tem e muita, pois só no último edital que o concurso realizou em 2006, foram enviados 120 pré-projetos de Demos e 30 pré-projetos de Jogos Completos. Fica dado o toque: Abragames, Governo Federal e empresas brasileiras de desenvolvimento de jogos eletrônicos , esta é a hora de seguir pelo mesmo caminho que a União Européia seguiu de criarmos um fundo para o desenvolvimento de jogos aqui no Brasil também. O que vocês acham?

12 de set de 2007

Charge da semana: Mario Poker de Boteco

Se você achava que o encanador italiano gordinho e bigodudo já tinha estrelado tudo quanto era variedade de jogos e estilos (Mario Bros, Mario Galaxy, Dr. Mario, Mario RPG, Papper Mario, Mario Kart, Mario Party, Mario Golf, Mario Tennis, Mario Strikers...ufa..e por ai vai..) e achou que já não podiam criar mais nada, se enganou!! Vem aí o super incrível Mario Poker de Boteco!!
Façam suas apostas e bebam com moderação!!

Daniel Rodrigues away!!

10 de set de 2007

Final Fantasy - Retrospectiva (FF8 e FF9)

Continuando com a excepcional retrospectiva do site Game Trailers, a sexta parte fala sobre Final Fantasy VIII e IX. Ambos são excelentes e foram importantíssimos para consagrar a série como a melhor de RPGs.

Final Fantasy VIII


Final Fantasy IX


Fernando Rodrigues

Reviver locadoras. Não seria a resposta?

Se você tem mais de 18 anos e joga videogames desde criancinha, é bem provável que chegou a pegar a fase cuja as locadoras eram febre. Tais locadores eram capazes de nos trazer a maior felicidade que um estabelecimento pode gerar (perdendo talvez, apenas para os shoppings centers e suas máquinas de arcade) em um mini-gamer. Muito do seu sucesso, era porque como videogame era um luxo caro naquela época (como eu gostaria que o preço dos consoles ainda fossem os mesmos :P ), era normal que pagar alguns tustões pra jogar Street Fighter ou International Super Star Soccer valia mais a pena do que ficar anos juntando a mesada do final de semana pra comprar um videogame.
Uma coisa vale reconhecer: quebrava um galho daqueles. E criancinhas ou não, não dá pra negar o sufoco que é juntar grana pra comprar um videogame da nova geração. Então eu pergunto: não seria uma boa hora para reviver as locadoras? Tudo bem, hora ou outra trombamos com uma (geralmente lotadas apenas de PS2 e pessoas jogando Winning Eleven), mas no geral elas sairam de moda (aqui onde eu moro não conheço nenhuma boa). Assim, poderíamos sentir o gostinho de jogar aquele game fantástico que tanto almejamos pagando por hora. Ou então alugarmos aqueles blu-rays para PS3 tão caros para sabermos se vale ou não a aquisição por muito mais que 200 reais (e mesmo a pirataria, realidade do brasileiro, pode extinguir com essas novas midias, ou com a possibilidade de aproveitar a jogatina online). Pode não ser a solução para se jogar videogames, mas com certeza seria de grande ajuda. Pelo menos eu aproveitaria. ;)
Fernando Rodrigues

9 de set de 2007

Choque Biológico

Em 1999 foi lançado o System Shock, jogo de primeira pessoa que mistura exploração com RPG. O game saiu só para PC, já que a versão para Dreamcast foi cancelada. Este ano, a desenvolvedora do game, 2K Boston, lançou para PC e XBOX 360, no dia 21 de agosto, um dos games mais esperados: o Bioshock. É um jogo de tiro em primeira pessoa.



Depois do sucesso da seqüência do primeiro game, System Shock 2, o Bioshock é mais um daqueles jogos que conquistam o jogador pela experiência e pelo bom enredo, como o clássico Metal Gear Solid. Como definem os criadores do game, o Bioshock é um sucessor espiritual de System Shock 2.


No jogo os inimigos são pessoas insanas. Pelo menos nas fotos é o que parecem.



Para quem quiser ver a análise do game, segue o link abaixo:
http://jogos.uol.com.br/xbox360/analises/bioshock.jhtm

Segue alguns gameplays:






Eu terei medo! Hehehe!

Beijos,

Bruna Torres!

6 de set de 2007

Baixe jogos gratuita e legalmente

É isso mesmo, que tal você baixar gratuitamente jogos para o seu PC, como Prince of Persia - The Sands of Time, FarCry, Rayman Raving Rabbids, ou ainda um trial de 10 dias livres nos servidores do World of Warcraft. Você deve estar se perguntando se está sonhando ou o que tornaria esses jogos gratuitos? Bom, se você reparar bem, vai notar que o Prince, por exemplo, está com um M do McDonalds tatuado nas costas ou ainda que o personagem do FarCry não usa mais uma camiseta florida havaina e no lugar entra uma camisa verde e preta carregando o logo da nVidia. Se você não se importar com essas coisas, pode baixar a vontade.

Quem quiser conferir a lista dos jogos é só entrar no link abaixo e fazer o download dos jogos. O site tem muitos títulos lá que nunca vi na vida, mas vale a pena dar uma investigada, viu? A informação foi via blog No Controle.


Por aqui, você pode baixar os jogos:
http://www.fileplanet.com/free_games.shtml

Jogos políticos colocam jogador em situações polêmicas

Você já se pensou no lugar de um fanático religioso que ajuda padres a molestar criançinhas, intimidando homens e mulheres a não fazerem denúncias? Ou então simulando orgasmos, durante uma relação sexual? Coisas desse tipo são totalmente possíveis graças aos chamados jogos de protesto. São jogos nem um pouco educativos, mas que refletem sobre o modo de como as pessoas lidam com os outros e com a sociedade.

Entre os jogos disponíveis na rede, está o jogo que parece ser bastante divertido, McDonald´s VideoGame. Nele você tem que começar a plantar e cuidar de bois e plantar soja até levar os ingredientes já industrializados e deixar seus clientes felizes nas lojas de Fast Food. Até aí não tem nada demais, pois já existem alguns jogos dessa natureza. Acontece que no meio do percurso, o prefeito proíbe que você utilize a plantação e você precisa pagar propina a ele. Além disso, você ainda pode desmatar áreas de plantação nativa para plantar mais ou então subornar nutricionistas e ecologista para continuar o seu negócio altamente lucrativo.

Se nenhum desses jogos lhe agrada, este com certeza lhe fará uma pessoa feliz. Trata-se da reinvenção de um velho simulador chamado Tamachochi. Só que dessa vez, ele se chama TamaTipico, onde você pode optar por três ações para seu personagem fazer: Trabalhar, divertir-se e dormir. O jogo indica se a produtividade no seu trabalho está baixa ou se o personagem está ficando cansado ou chateado e daí, você precisa ficar alternando entre as atividades e ir vivendo a vida. Parece com algo que não sei bem, mas deixa pra lá.


Todos esses jogos, assim como muitos outros está no portal abaixo:
www.molleindustria.org

5 de set de 2007

Charge da semana: Grand Theft Hedgehog!!


Aproveitando a onda de assuntos adultos:
Depois do infeliz comentário do próprio presidente da Sega of America, que alegou: "Sonic deixa de ser um personagem legal depois que você passa dos 12 anos de idade", o porco-espinho mais famoso do mundo dá a louca e decide partir para uma onda mais..."madura". Agora, ao invés de usar sua super velocidade para correr atrás dos bandidos e fazer coisas cafonas como..salvar o mundo, o ouriço vai fugir da polícia, destruir propriedades alheias, descarregar pentes em manés desavisados, assaltar a lojas de conveniência 24 horas, roubar Chaos Emeralds de joalheirias chiques e caixas-fortes para presentear Amy e levá-la a motéis baratos de beira de estrada, e atirar conquitéis Molotov para tudo que é lado. Tudo em nome da sua reputação entre os fãs, e claro, entre as gangues rivais. Agora, sr. presidente Simon Jeffery, alguém segura esse bicho, porque até a SWAT ta pedindo arrego!!
Eu heim?? to fora!!
Dann Rodrigues, Away!!
Abraço galera!!

4 de set de 2007

Somente para adultos

O mundo virtual está cada vez mais se aproximando do real. É o que está acontecendo com a nova geração de games, que traz jogos com sexo explícito. Desde a época do Atari 2600 já víamos jogos como o Custer's Revenge e Beat’Em and Eat’Em. Em Custer's Revenge, o coronel Custer tinha que fugir das flechas que os índios atiravam contra ele, para no fim, alcançar a tal “índia” no fim da tela e flechá-la.




Em Beat’Em and Eat’Em, bem, você atirava do alto de um prédio e tinha que acertar a boca da moça logo abaixo. Desta vez não eram flechas!



Com a evolução dos bits e pixels, os games ficaram mais bonitos com o tempo.Distribuido pela Megatech, Cobra Mission é um game onde você é um investigador particular que deve ajudar um amigo para salvar Cobra City da presença de gangues locais. No decorrer do jogo, além de acabar com membros de gangues, você encontra mulheres por quem o investigador se interessa.



Em Playboy: The Mansion, o personagem principal deve de interagir com outras pessoas, como em The Sims. Cada pessoa, em geral as namorada, possuem certas necessidades que devem ser preenchidas para manter a harmonia geral. A vida do dono da Playboy é promover festas, lidar com celebridades, fotografar modelos em sua mansão e cuidar de sua famosa revista.



Leisure Suit Larry: Magna Cum Laude é outro game engraçado e erótico ao mesmo tempo. O objetivo desde game, como das outras vezes, é cantar as garotas, mesmo que seja uma tentativa frustrada.





Naughty America é um game que mistura site de encontros com chat 3D com webcam. Os jogadores podem criar os personagens, mobiliar casas e fazer compras em sex-shops.




Outro game que trazia cenas eróticas era Duke Nukem, onde o quase Schwarzenegger podia jogar dinheiro para a dançarina e em seguida matá-la. O dinheiro não fazia falta mesmo.



Games que misturam sexo à temática, sem parecer apelativo, também existem. O God of War é um bom exemplo. Tanto no primeiro quanto no segundo, existem os chamados sexy-minigames. Kratos, se fizer tudo direitinho, recebe diversos Orbs ao terminar os minigames.



Apostas nos celulares também valem. A indústria telefônica está investindo em games eróticos. Alguns já estão disponibilizados para download, como o Sexy Pool, onde mulheres atrapalham as jogadas de sinuca e o Car Sexy Kamasutra, que ensina as melhores posições para usar no carro.



Agora vamos aos virtuais quase reais. O 3Feel Online traz traços bem reais de sexo. O jogador pode manipular o corpo do personagem em relações. O game é considerado um auxílio para os fãs do cyber-sexo.



Lula 3D é um game com um enredo bastante inusitado. O jogador controla Lula, uma produtora de filmes eróticos, que se encontra em um grande problema. O objetivo é ajudar Lula a resolver o mistério e encontrar os encapuzados que seqüestraram os modelos.



Singles: Flirt Up Your Life é um jogo para PC, bastante similar a The Sims, onde a missão do jogador é conseguir com que o personagem conquiste a parceira(o) até haver uma relação sexual entre os dois.


O que será que tá rolando?

Milf Warrior é um “misto-quente” de GTA e The Sims, que tem como objetivo juntar pontos e ter relações com as mulheres da vizinhança. Milf, para quem não sabe, significa Mother I'd Like to Fuck, que para o português fica “Mãe que eu gostaria de f..."”. Ok, vocês já entenderam.




Spend the Night é um game que permite aos jogadores marcarem encontros virtuais e ter relações sexuais.


Um game bastante polêmico é o Sociolotron, porque além do sexo, mostra também estupro, sadomasoquismo, aborto, poções feitas com fluídos corporais e muita violência, o que deixa o game “pesado” demais.




Agora, um game para PC é o Oppai Baka! (Louco por peitos) para quem é mesmo. Em várias lojas do Japão foram colocadas uma boneca tamanho normal. As pessoas podem apertar seus seios em forma de coração. Ela tem amor pra dar e vender à todos.







Bem, é isso aí moçada.

Beijos e divirtam-se.

Bruna Torres