1 de out de 2007

Frase de capa da EGM Brasil gera polêmica

A revista EGM Brasil deste mês publicou a seguinte frase:
"Chora Sony! A Microsoft criou multiplayer mais viciante da história."
Tal frase acabou gerando muitas discussões em fóruns de internet por se tratar de um apelo ista, infantil e não profissional. Nada contra a revista, que por sinal é excelente. Mas a falta de cuidado com a forma de se expressar é algo que necessita muita delicadeza por parte de qualquer jornalista.
Uma coisa é informalidade. Afinal de contas, gamers são no geral, jovens que não precisam ler um material contado de forma tão séria. Mas a argumentação precisa ser feita com extremo carinho, já que não se pode confundir formato e conteúdo.
O que é curioso é que sempre é o console mais vendido que acaba ganhando forças nessas "frases de efeito". Talvez isso seja porque, como garotos que somos, vamos achar bonitinho e pegar carinho pela revista.
EGM, não funciona assim...

6 comentários:

Bruno disse...

Foi uma putaria mesmo esse comentário.

Istas ficam puxando saco de um videogame descartável.

3RL

afffffffffffffffffff

Eu não sou ista da sony, mas a microsoft é uma merda mesmo.

Windows todo bugado e agora o xbox 360

rodrigo_flausino disse...

Eu cheguei a começar a esboçar um post sobre a revista (comprei a mesma semana passada), e tenho a mesma opinião que a sua: a frase da capa foi lamentável para a revista, que normalmente promete ser imparcial para o seu público.

Arthur Protasio disse...

Eu estava comentando exatamente isso com a Bruna quando ela me enviou o link da matéria.

Nada contra o 360, afinal eu tenho um, mas que o título foi péssimo...foi. A impressão que passa é que a revista é facilmente influenciada e comandada...infelizmente.

Aliás...isso me faz pensar. É o melhor multiplayer da história? Tudo bem...e se for...Brasileiros poderão jogá-lo no Xbox Live? Alguém no Brasil joga direitinho no Xbox Live? Obs: Isso é uma pergunta sincera, já que eu não jogo.

Marco Paulo disse...

Ah cara, achei muito relax esse título. Eles queriam mostrar como a situação se transformou, com a Sony não sendo mais hegemônica no mercado de games de console no lado ocidental do mundo, já que a Microsoft mandou bem, criou um console que sim, tem seus problemas, mas as vantagens em relação ao Play3 são grandes (HDDVD que vai SIM ser o padrão da mídia digital, menor preço, mais jogos). Aqui no Brasil então, ixa! Aprendemos a odiar a Microsoft desde sempre, e amamos os Plays da Sony. Mas dessa vez, nessa geração de consoles/games, a Sony se fudeu, e não vejo problema nenhum em colocar um título falando exatamente isso.

Danillo Tadeu disse...

carinha aí debaixo, você usa o línux??

outra coisa... defina para mim a palavra "bug", ou como vc preferiu, defina o verbo "bugar".

Anônimo disse...

Realmente é complicado vc usar certas palavras em algumas ocasiões. Eu sou leitor assíduo da revista, estive há pouco tempo com os caras e posso dizer: eles fazem um trabalho de responsa, dou o maior crédito, porém essa foi uma das gafes que qualquer um poderia cometer. Tenho que admitir também que foi de forma muito "ista" e perturba mesmo, logo que li torci o nariz. Na edição 71 Ricardo Farah fala um pouco no editorial sobre "istismo" e o ocorrido. (Ps. meus parabéns pelo blog, já começou de uma forma polêmica, espero que invista nele, eu também tenho um blog recente, se quiser visitar... http://animegamesproject.blogspot.com