26 de mar de 2008

Final Fantasy: Cristal Chronicles RoF, uma palavrinha à respeito do game

Olá pessoal. Peço antes de tudo que desculpem a ausência de posts ultimamente aqui no GB. Todos os envolvidos com o blog estão passando por alguns problemas, mas já estamos dando um rumo novo ao blog, e em breve vocês verão atualizações diárias. Além disso, as charges estarão de volta muito em breve (no máximo em duas semanas).

Agora, quero dar uma palavrinha sobre o jogo que está mais fazendo sucesso atualmente entre os donos de DS: Final Fantasy CC.

Primeiramente já vou adiantar: adorei o jogo. É incrível como a SquareEnix consegue extrair o máximo do console em seus jogos. Existem pessoas que não acreditam que o DS possa fazer muita coisa em 3D, mas FF:CC é a prova de que é possível sim, mesmo que sofra algumas deficiências (alguns slowdowns acontecem quando há muitos inimigos na tela, e as dublagens apesar de estarem excepcionais, poderiam ser mais frequentes, coisa que não acontece devido à pouca capacidade de armazenamento do cartucho). Curioso que a SE é tão competente, que ainda que seus jogos sempre consigam se sair maravilhosamente tecnicamente, o que mais chama atenção é o primor de seus enredos, sistemas de batalha, enfim, elementos essenciais para qualquer bom RPG.

Mas até o mais completo dos jogos tem seus deslizes, e eu não sei como a SE deixou esse passar. É algo sutil, que parece não ter incomodado muitos jogadores, tanto que não foi citado na maioria dos reviews dos sites e revistas mais importantes. Acontece que quando se está jogando de 1 player, no modo Story, a IA (inteligência artificial) dos aliados é absurdamente porca, e embora exista meios de manter o grupo unido, é uma pena que os outros 3 personagens sejam um peso morto nas batalhas, principalmente em momentos críticos como os Bosses. No início não aparenta ser algo muito comprometedor, mas é uma falha que desiquilibra o sistema de jogo de forma devastadora. O jogador com o tempo, descobre que não é muito compensador equipar os personagens que ele não joga. Isso desbalanceia as batalhas, o sistema de compras, enfim, deixa o jogo falho e tendencioso. O único jeito de sanar o problema parece ser o multiplayer, que controlando apenas um personagem, dá aos jogadores o balanço, a disponibilização de boas customizações e a diversão que esse grande jogo pode ofercer.


Nandim Rodrigues

Um comentário:

Indigente Virtual disse...

Melhor até que FF: XII ds? será?