9 de fev de 2008

Revenant Wings, Final Fantasy e suas continuações...

Já se fora o tempo em que o tradicionalismo da antiga Square a impedia de mecher nos próprios jogos. E a partir do momento que a Square-Enix foi criada, começaram os primeiros sinais de continuações exóticas de alguns Final Fantasys, que para o bem ou para o mal, conseguiram aprovação do público. Seja para imortalizar ou banalizar, esses games chegaram pra ficar, e depois de títulos polêmicos como Final Fantasy X-2 (esse em especial causou a fúria de muitos) e o filme Advent Children, surge para DS a continuação do décimo segundo episódio.

Depois de terminar o game, concluo: RW é, de uma forma diferente, um jogo interessante. Mas é preciso reconhecer que necessitou de coragem por parte da SE em introduzir o gênero RTS à franquia. Para quem não sabe, é um estilo de jogo peculiar, cujo o objetivo é, através de uma espécia de point and click, destruir os inimigos com pensamento estratégico antes de tudo, só que em tempo real (exigindo agilidade por parte do jogador).

Abandonando a história do primeiro jogo, RW aposta em investir no desenvolvimento do personagens, mas deixando a trama do original apenas para quem jogou, e partindo para um enredo diferenciado, envolvendo ilhas e raças voadoras (compreensivel já que boa parte dos possuidores do DS provavelmente não tiveram a oportunidade de jogar o game do PS2), e o resultado é um game divertido, agradável e viciante.

É então que digo, como já deveria ter dito tantas outras vezes, e como deverei dizer muito ainda: ponto para o DS!!!

Nandim Rodrigues

Nenhum comentário: