18 de fev de 2008

Censura em Adaptação?

Em recente notícia a famigerada ESRB, conselho que determina a censura dos jogos lançados no mercado internacional divulgou que classificou em 2007 um total de 1563 jogos, ou seja, a maior quantidade até hoje em um período de 365 dias. A interessante revelação por parte dessa estatística é que foi constatado um declínio na quantidade de jogos que receberam a censura "Mature" (sem mencionar a quase inexistente "Adults Only"). 12% em 2005, 8% em 2006 e 6% em 2007. O número total de jogos aumenta, mas a porcentagem de jogos "Mature" diminuiu. Notaram algo de estranho?




A reação imediata é pensar: Isso significa que os jogos estão perdendo o seu conteúdo "adulto"? A quantidade de jogos infantis lançados é cada vez maior. Ao mesmo tempo, jogos como Manhunt 2, que no caso alega ser idêntico ao filme Jogos Mortais, receberam a censura "AO" (enquanto o filme recebeu "R", que equivale a "M" dos videogames). Meses depois, o inofensivo RPG Mass Effect é duramente criticado em rede televisiva por uma série de ignorantes, que não tem contato com videogames, por causa de uma cena de sexo.









Curioso como o videogame é tão criticado. Será por ser uma mídia mais recente que as outras? Seria isso um processo de adaptação? Ao mesmo tempo, me pergunto, será que o conselho que decide a censura dos jogos aos poucos não é influenciado? Aos poucos a noção de o que antes era "AO", hoje em dia pode ser só "Mature"? Talvez o critério de padrão esteja se modificando e a gente não percebe. Especialmente quando pessoas totalmente isoladas do mundo dos games tentam criticá-lo.




Deve ser tudo uma gradual adaptação...

10 comentários:

José disse...

Criticaram tanto Mass Efect por causa daquilo, deveriam classicar as Novelas para Maios de 30 Anos,

Spinossauro disse...

Interessante notar que a própria rede de televisão (ou uma de suas afiliadas, não sei ao certo) exibe programas de classificação etária "livre" com cenas muito mais fortes do que o jogo. Os falsos moralista dominam o mundo, a hipocrisia impera.

Emerson disse...

O que acontece,Bruna,é que antes era uma violência só com base no sangue,e etc..mas agora,existe um apelo psicológico também nos games,e isto talvez esteja deixando o pessoal que lida com a liberação ou não dos jogos (pra não dizer a censura...) mais preocupados.

beijos,minha musa...

Arthur Protasio disse...

Claro claro...eu concordo com todos os comentários. Esse é o objetivo do post: criticar a indústria atual e questionar até que ponto tudo isso é válido e/ou lógico.

Mas ae Emerson...meu nome é Arthur e algo que me diz que eu não sou sua musa =p

Emerson disse...

Ô Arthur,parabéns pelo posto muito bem escrito....é que eu pensei que a Bruna o tinha escrito... Desculpa aí.... :))

Stephanie Sarmiento disse...

Bom dia!

Estou entrando em contato novamente para me colocar à disposição ao esclarecimento de dúvidas referente ao e-mail que enviei no dia 15/02/08, tratando da Parceria Comercial entre o Site Geração Bit com a HOTWords.

Qualquer dúvida ou maiores informações, por favor, entre em contato comigo.

Abraços,

Stephanie Sarmiento
------------------------------
smarques@hotwords.com.br
www.hotwords.com.br
------------------------------
Phone: 11 3178 2514

Indigente Virtual disse...

Talvez devemos levar em consideração uma coisa, que os games tem em sua base a interatividade, algo que a indústria do cinema não conseguiu e que é o que faz a maior diferença neste tipo de classificação. Num filme como Jogos MOrtais, o espectador (como o próprio nome já explica) só assiste, não toma parte da violência, se ele gosta ou não daquilo (e sente prazer), o criador da obra nunca saberá (sabe-se com a repercussão, mas não é nesse mérito que quero entrar); já em um game, o jogador toma parte de tudo e muitas das vezes é agraciado com bônus pela violência que usa. isto é ou não incitar o usuário à usar a violência? Virtual, tudo bem, mas quem convive neste mundo gamer, sabe muito bem quanto alguns (idiotas) podem influenciados, tanto negativamente quanto positivamente. Quantas vezes não vimos as crianças brincarem de Cavaleiros do Zodíaco (na minha época) ou Naruto (hoje em dia) e descerem a porrada uns nos outros, mesmo que de brincadeira, estas mesmas crianças não fazem estas coisas ao assistirem Bob Esponja. Esta é minha opinião, se não gostou, convido-te à uma pancadaria desenfreada de SoulCalibur.
Ass: Tenório

Indigente Virtual disse...

Escrevi tanto que esqueci de uma coisa.
Não importa se o indivíduo convive com a violência virtual ou não, no fim é a criação que prevalesce.

Arthur Protasio disse...

Concordando ou não, eu aceito seu duelo no Soul Calibru XD

Indigente Virtual disse...

Bora marcar, quer dizer, falta sair o 4, pois para miha plataforma ainda não foi lançado este primoroso jogo de luta.